Blog

INQUILINO X CONDOMÍNIO

A participação dos condôminos nas questões condominiais é algo essencial que ajuda tanto o síndico quanto os proprietários.

Com um envolvimento geral por parte dos condôminos é possível dividir algumas responsabilidades e facilitar a resolução de problemas através da troca de conhecimentos entre os moradores.
Com uma maior participação dos condôminos, além de se ter as vantagens acima citadas, ocorre a diminuição das chances de fraude e de uma má administração de recursos já que como os moradores estarão com conhecimentos plenos sobre as condições do local qualquer modificação será percebida.

Banco Central estuda estímulo ao empréstimo com garantia de imóveis

Banco Central estuda medidas para diminuir o prazo de concessão de empréstimo pessoal com garantia de imóvel no Brasil – conhecido como home equity – para fazer esse mercado deslanchar de vez no País. Dentre os temas em análise, apurou o Estadão/Broadcast, estão a adoção da modalidade guarda-chuva e a portabilidade.

Para o presidente do BC, Roberto Campos Neto, o produto tem potencial de liberar R$ 500 bilhões na economia brasileira. Atualmente, o estoque do chamado home equity no Sistema Financeiro Nacional (SFN) está em R$ 11,3 bilhões, após períodos de sucessivas quedas.

Enquanto em dezembro de 2017 o estoque de empréstimos na modalidade era de R$ 12,5 bilhões, em junho de 2018 foi de R$ 11 8 bilhões. E, no fim daquele mesmo ano, o valor caiu para R$ 11 5 bilhões.

No acumulado deste ano, até agosto, pessoas físicas tomaram emprestado R$ 1,533 bilhão na modalidade. Em 2018, o empréstimo foi de R$ 1,881 bilhão e, em 2017, de R$ 2,089 bilhões.

Ao entrar na mira do BC, o crédito com garantia imobiliária também passou a ser visto com outros olhos pelos grandes bancos. O Itaú Unibanco, que repaginou seu produto no fim do ano passado já começa a colher frutos da nova estratégia. Responsável por 23% do crédito nesse mercado no primeiro semestre do ano, o banco multiplicou por cinco a oferta mensal de recursos.

Segundo a diretora de crédito imobiliário da instituição, Cristiane Magalhães, a oferta, antes restrita ao cliente com renda superior a R$ 10 mil mensais, está sendo estendida para aquelas que ganham entre R$ 4 mil e R$ 10 mil por mês.

O Banco do Brasil quer ampliar sua carteira no segmento. “É um crédito mais qualificado e é possível praticar preços mais atrativos para o tomador”, afirmou a gerente executiva de empréstimos, financiamentos e crédito imobiliário do BB, Daniela de Avelar Gonçalves.

Segundo a executiva, o banco terá novidades em breve nessa linha de crédito, como a possibilidade de contratação 100% por canais digitais e a disponibilidade de empréstimos tanto para correntistas quanto para não correntistas.

Atualmente, o banco estatal oferece o BB Crédito Imóvel Próprio a seus clientes de renda mensal a partir de R$ 4 mil, que permite até 89 dias para o pagamento da primeira parcela, com taxa a partir de 1,38% ao mês. O valor mínimo para o empréstimo é de R$ 35 mil.

Para a gerente nacional de atendimento jurídico da Caixa, Bruna Groba, a regulamentação atual do home equity já é satisfatória e permite o desenvolvimento do mercado. Ela acrescentou que a expansão da carteira no banco depende apenas da estratégia de negócios.

REDUÇÃO NA TAXA DE JUROS – CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

Caixa reduz juros de crédito imobiliário para 7,5% ao ano, mais a TR.

A Caixa Econômica Federal anunciou hoje a redução dos juros para financiamentos imobiliários com recursos do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo). A taxa mínima passou de 8,5% ao ano mais a TR (Taxa Referencial) para 7,5%, mais a TR (que atualmente está zerada). A taxa máxima será de 9,5% mais a TR. As simulações podem ser feitas no site da Caixa. O anúncio do banco público é uma reação à decisão dos dois maiores bancos privados do país, que reduziram os juros do financiamento imobiliário.

A redução nos juros da Caixa ocorre tanto nas linhas do SFH (Sistema Financeiro de Habitação), para imóveis de até R$ 1,5 milhão e que permite o uso do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), quanto no SFI (Sistema Financeiro Imobiliário), para aqueles acima desse valor e sem a possibilidade de uso do fundo.

Jantar de Casa Nova

Dicas de como receber seus convidados no seu mais novo lar

Definir o número de convidados é o primeiro passo. A partir daí, a missão é fazer a lista, começando pelo elenco fixo: aqueles amigos e familiares que estão sempre por perto. “De acordo com o perfil dos convidados, escolha o tipo de serviço. O americano (as pessoas se servem) é mais prático para encontros informais. Deixar a mesa arrumada é uma das dicas de jantar fundamental. Lugares para todos sentados vai depender de como será a recepção, formal ou informal. Por isso o check list é importante. Se a mesa não comporta a quantidade de convidados, melhor pensar num serviço à americana, em que a mesa é utilizada para servir e os convidados ficam à vontade no ambiente.

Na escolha do menu é sempre aconselhável ter opções vegetarianas e leves e procurar saber se algum convidado tem restrição alimentar, o que é cada dia mais comum. No bar, não é preciso oferecer tudo, mas é interessante ter dois tipos de bebidas. Se for servir vinho, fique atento à quantidade por convidado, e sempre tenha água, gelo e opções sem álcool.

Não é preciso fazer uma excursão pela casa toda antes ou depois do jantar para mostrar cada detalhe. Deixe as pessoas bem à vontade para se manifestarem e as conduza de acordo com o seu nível de intimidade e com o desejo delas.

Organizar um jantar não é uma tarefa fácil, mas seguindo essas dicas, temos a certeza que o momento será especial tanto para você, quanto para seus amigos.

CASA COR 2019

Minas Gerais tem tudo a ver com hospitalidade, arte, natureza, boa mesa e um sotaque irresistível. A estas tradições, soma-se um patrimônio histórico, arquitetônico e paisagístico dos mais relevantes. Estes e outros atrativos estão presentes de corpo e alma nos 59 espaços da CASACOR Minas Gerais, que celebra sua 25ª edição em grande estilo. No total, 94 profissionais de arquitetura, interiores e paisagismo participam.

Em 2019, a sede escolhida é o célebre Palácio das Mangabeiras, inaugurado em 1955 para ser residência oficial dos governadores de Minas Gerais. Seu projeto inicial é de autoria do arquiteto Oscar Niemeyer, com jardins planejados pelo paisagista Roberto Burle Marx. O conjunto tombado fica aos pés da Serra do Curral, que protagoniza a paisagem que abraça os ambientes. A proposta de resgatar um edifício antigo e histórico não é nova para o trio que está, hoje, a frente da CASACOR Minas Gerais, criada em 1995 por João Grillo e Ernesto Lolato.

A edição da Casa Cor Belo Horizonte estará disponível até o dia 13/10/2019.

De terça a sexta-feira, das 15h às 22h

Sábados, das 12h às 22h

Domingos e feriados, das 12h às 19h

REDUÇÃO NO JUROS SOBRE FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO

O Bradesco anunciou nesta segunda-feira (30) uma redução na taxa de juros da sua linha de crédito imobiliário. A partir de 1º de outubro, a taxa mínima será de 7,30% ao ano + TR. Atualmente, as taxas começavam em 8,2% ao ano + TR.
As novas condições passam a vigorar a partir desta terça-feira, 1º de outubro, em toda a rede de agências do banco.
Na sexta-feira, o Itaú também anunciou que irá reduziu as taxas mínimas dos juros do financiamento imobiliário: de 8,1% ao ano + TR para a 7,45% ao ano + TR.
O movimento dos bancos segue a redução mais recente da taxa básica de juros pelo Banco Central. O último corte de juros do financiamento imobiliário havia sido feito pelo banco no dia 18 de setembro, quando o Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu de 6% para 5,5% a Selic e ainda sinalizou espaço para novos cortes ao longo do ano.
Segundo o Bradesco, as novas taxas podem ser contratadas para financiamentos com prazo de até 360 meses. “O cliente pode financiar até 80% do valor do imóvel e o comprometimento máximo da renda líquida sobre o valor das prestações é de 30%”, informou o banco.

Segundo dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), até o mês de agosto deste ano, entre aquisição e construção, o Bradesco desembolsou R$ 11,6 bilhões, atrás apenas da Caixa, que desembolsou no período R$ 14,5 bilhões.
Em agosto, o financiamento imobiliário com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) atingiu R$ 6,71 bilhões em agosto, um aumento de 18,4% em relação ao mesmo mês de 2018. Foi também o maior resultado para um mês este ano.